Quinta-Feira, 28 de Maio de 2020

CONTACTOS

STEC
INFORMAÇÃO STEC
AOS SÓCIOS DO STEC
2020-04-03
Aos sócios do STEC
 
O STEC continua a manter-se em funcionamento, tanto na sede em Lisboa, como nas delegações do Porto e de Coimbra. Isso tem permitido atender às várias questões apresentadas, esclarecer dúvidas e tomar conhecimento das situações anómalas que vão acontecendo. Na sequência desta atividade, temos mantido com regularidade um contacto por videoconferência com o Gabinete de Crise da CGD.

Deste contacto, destacamos o seguinte:  

Caixa Pessoal - registamos um aumento de informação prestada aos trabalhadores pela CGD, dado ser uma das lacunas para que tínhamos alertado nas reuniões com o Gabinete de Crise.
Chamamos entretanto a atenção para a importância de consultarem o «Caixa Pessoal» nos próximos dias, já que a CGD se comprometeu a prestar, por esta via, uma informação mais detalhada sobre as diversas situações de ausência em que os trabalhadores se encontram, e dos seus respetivos efeitos remuneratórios.

Ausências por encerramento das escolas e creches nas férias da Páscoa - alertamos para um facto importante – o apoio determinado para estas situações foi um até ao dia 27 de março e outro a partir do dia 30 de março e até 9 de abril. Assim, a publicação do Dec. Lei 10-K/2020, vem determinar que as faltas para apoio aos filhos menores de 12 anos, passam a partir de 30 de março, a estar justificadas, mas já sem direito à remuneração.
No caso específico das creches, continua a existir o direito à remuneração, mas apenas para quem tiver filhos com idades até 3 anos.

Troca de dias de faltas justificadas, por dias de férias - no caso dos trabalhadores terem uma situação financeira que não comporte esta quebra na remuneração, é permitido optarem pelo gozo antecipado de férias, bastando para tal enviarem uma comunicação à CGD, alterando os dias de falta justificada para dias de férias, já que não carece da aprovação das hierarquias diretas.  

Teletrabalho – é uma situação em que os trabalhadores continuam a manter integralmente os seus direitos, mas é também uma opção condicionada, seja ao número de licenças de que a CGD dispõe, seja quanto aos meios técnicos que exige e ainda ao tipo de trabalho que o aconselhe. O STEC tem vindo a reiterar a necessidade do alargamento desta modalidade de trabalho a um cada vez maior número de trabalhadores.

Rotatividade – esta prática já foi estendida a toda a rede comercial, mas têm chegado ao nosso conhecimento algumas situações em que tal não se verifica. No nosso último contato com o Gabinete de Crise, denunciámos este facto e estamos agora na expectativa da sua correção.

Crédito à Habitação / Pessoal - Estamos a acompanhar a leitura da CGD, quanto à aplicação da moratória decidida pelo Governo, nos casos do crédito por nivelamento, mas necessitamos ainda de uma melhor clarificação sobre este assunto. O mais rápido que nos seja possível, prestaremos a devida informação.

 
A Direção do STEC manifesta a sua extrema preocupação pela grave situação que estamos a  viver e pela incerteza quanto ao seu términus, continuando insistentemente a interceder junto da CGD no sentido de resolver e/ou mitigar os problemas complexos que atingem os trabalhadores. Deixamos firme o compromisso de tudo fazer para continuar a exigir condições laborais e sociais dignas, para todos os trabalhadores da CGD e das Empresas do Grupo.


A Direção
 



 
 


TopoIr para lista

img_geral_logo