Quinta-Feira, 29 de Junho de 2017

CONTACTOS

STEC
INFORMAÇÃO STEC
TRABALHADORES DO GRUPO CGD - QUE MAIS QUER O GOVERNO, DE NÓS?
2013-02-05
COMUNICADO 01

Há pouco mais de 3 anos, dizia-se que só a existência da CGD tinha permitido ao Governo nacionalizar o BPN sem riscos, já que seria o Banco público a garantir os meios financeiros e os apoios técnicos para que o BPN continuasse em atividade.


Hoje, tudo isso foi esquecido, o Grupo CGD é despudoradamente atacado publicamente todos os dias e os seus trabalhadores passaram a ser acusados de privilegiados, numa população que caminha aceleradamente para o empobrecimento, mercê da política do Governo que a isso, inevitavelmente, está a conduzir.
 

Se não bastou ao Governo impor ao Grupo CGD:

  • O corte do Subsidio de Férias;
  • O pagamento em duodécimos do Subsidio de Natal;
  • A apropriação imediata desses duodécimos, pelos impostos;
  • A diminuição drástica do valor a pagar pelo trabalho extraordinário;
  • A redução das Ajudas de Custo e do valor do Km, no uso de viatura própria;

Temos o direito de perguntar - será que o Governo tem consciência, que:

  • A redução de custos com o pessoal da CGD: em 2011, ultrapassou os 10%; em 2012, atingiu quase 12%; desde 2010, foi de 21%, sempre superando o que os O.E. exigiam?
  • Os trabalhadores da CGD, não são funcionários públicos desde 1969?
  • Os trabalhadores das Empresas do Grupo CGD, se regem pelo direito privado?
  • Estes trabalhadores não são, nem nunca foram, despesa do Orçamento de Estado?
  • Estes trabalhadores, jamais foram envolvidos nos aumentos salariais da Função Pública?

E quer agora o Governo ... cortar ainda mais nos salários e reformas dos trabalhadores do Grupo CGD penalizando-os duplamente!


 

STEC REUNIU COM ADMINISTRAÇÃO E VAI CONVOCAR OS DELEGADOS
 

A Direção do STEC reuniu com a Administração da CGD em 4/2/2013, para denunciar a grave situação em que a maioria dos trabalhadores do Grupo já se encontra, apresentar propostas de medidas para de alguma forma minimizar a situação e para saber qual a posição da Administração quanto à aplicação do Orçamento de Estado de 2013.
 

Apesar de inconclusiva, a reunião permitiu-nos saber que a Administração ainda está a desenvolver diligências junto do Ministério das Finanças, no sentido de evitar que os trabalhadores do Grupo CGD possam vir a ser duplamente penalizados, até esta data (4 de Fevereiro) ainda sem resposta.
 

A Direção do STEC, vai convocar plenários de Delegados Sindicais, para os dias 19/2 (Lisboa) e 21/2 (Porto), a fim de discutir e decidir sobre as respostas a dar pelos trabalhadores à brutalidade destas medidas.


 

TRIBUNAIS
 

Tal como em 2012, em que os recursos apresentados em Tribunal pelo STEC, estão em apreciação no Tribunal da Relação, também em 2013 o STEC levará a Tribunal, qualquer desrespeito aos acordos contratuais que assinou com a CGD e com outras Empresas do Grupo CGD.
 

OS TRABALHADORES DO GRUPO CGD, NÃO ACEITAM SER ASSIM TRATADOS!
 

O STEC já contestou na Comunicação Social esta decisão do Governo e irá, por todos os meios ao seu alcance, desenvolver essa contestação até onde lhe for possível. Não desistiremos!
 

A Direção

TopoIr para lista

comunicado_01.jpg