Terca-Feira, 17 de Outubro de 2017

CONTACTOS

STEC
INFORMAÇÃO STEC
CONSELHO NACIONAL APROVOU RELATÓRIO E CONTAS DE 2014.NA MIRA ESTEVE TAMBÉM O “PLANO DE HORIZONTE”
2015-04-28

O Conselho Nacional reuniu em 17 de Abril na Sede do STEC em Lisboa.
 

Em debate estiveram:

As negociações do Acordo de Empresa STEC/CGD
– ponto em que o Presidente da Direção fez referência ao modo como estão a decorrer as negociações, informando terem existido até à data apenas duas reuniões, e com base nessas conversões haver indícios de que o Grupo Negociador não pretende avançar muito, para em simultâneo, se ir apercebendo de como vão decorrendo as negociações no restante setor bancário. Aproveitou para dizer que o Sindicato irá informando os sócios no decorrer das negociações e sempre que se julgue oportuno.
Das intervenções dos membros do Conselho Nacional foi manifestada a necessidade de se fazer um estudo aprofundado sobre a realidade económica da Caixa Geral de Depósitos;

O Relatório e Contas do STEC de 2014
– ponto em que a Direção fundamentou alguns pontos sobre o conteúdo do Relatório e Contas previamente distribuído aos membros do CN., justificando os gastos e proveitos e comparando com os resultados do ano anterior. Foi focada a situação económica saudável do Sindicato que foi também reiterada pelo Presidente do Conselho Fiscal, ao justificar o parecer favorável dado por este órgão. O Relatório e Contas de 2014 foi aprovado por unanimidade.

No ponto fora da ordem de trabalhos
- as intervenções focaram fundamentalmente dois temas:
     - A necessidade de se estudar e tomar medidas em relação às questões da discriminação e da
       igualdade de género;
     - Questões relacionadas com o “Plano Horizonte”.


Em relação à primeira questão o Presidente da Direção referiu que, embora reconhecesse que ainda existe muito a fazer nessas áreas, no caso concreto do Sindicato estávamos no bom caminho, dada a grande quantidade de mulheres e jovens que entraram recentemente para os orgãos sociais do Sindicato.

O segundo ponto teve a ver com o plano que a Caixa apresentou, para os trabalhadores, com mais de 55 anos, que assim o queiram possam ir para à pré-reforma, em condições indicadas no plano. Os membros do Conselho Nacional colocaram algumas questões, com exemplos de vários casos. O Presidente da Direção respondeu prestando os esclarecimentos necessários e referindo que as pessoas não se devem precipitar, dado que ainda havia bastante tempo para poderem tomar uma decisão, e em caso de dúvidas devem contactar sempre o Sindicato.

TopoIr para lista

cn_2015_04.jpg