Segunda-Feira, 23 de Setembro de 2019

CONTACTOS

STEC
INFORMAÇÃO STEC
BCE PODE TER DE REAVALIAR IDONEIDADE DE PAULO MACEDO
2019-09-06
ECOSAPO
6 Setembro 2019
 
Uma auditoria interna realizada pelo BCP coloca Paulo Macedo na origem da contratação alegadamente fictícia de João Conceição, o assessor do ex-ministro da Economia Manuel Pinho.
 
O Banco de Portugal já tem nas mãos a auditoria interna realizada pelo Banco Comercial Português. A conclusão que sai do documento é que Paulo Macedo, na altura com o pelouro dos recursos humanos, está na origem da contratação alegadamente fictícia de João Conceição, o assessor do ex-ministro da Economia Manuel Pinho. O supervisor terá, agora, de remeter para o Banco Central Europeu (BCE), que deverá reavaliar a idoneidade para se manter à frente do banco público Caixa Geral de Depósitos (CGD), que lidera desde 2017.
 
Mais de um mês e meio após ter sido enviado para o Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), o relatório — que estabelece uma relação entre o BCP, a EDP (acionista do BCP) e João Conceição — põe Paulo Macedo no centro da contratação de alegadamente fictícia, a quem o BCP pagou durante nove meses um total de 153 mil euros, apesar de Conceição nunca ter exercido as funções de direitor para que foi contratado, pois era assessor de Manuel Pinho, avança o Público.
 
Pinho, recorde-se, era ministro da Economia de José Sócrates, com responsabilidaes no setor da energia, logo na EDP, onde o Estado também tinha presença a nível acionista. A EDP era acionista do BCP, com presença no conselho de administração do banco, enquanto o BES era acionista da EDP.
TopoIr para lista