Domingo, 17 de Dezembro de 2017

CONTACTOS

STEC
COMISSÃO DE REFORMADOS
CONCENTRAÇÃO DE BANCÁRIOS REFORMADOS CONTRA O ASSALTO ÀS REFORMAS E PENSÕES
2013-07-15

Porto. 30 de Maio de 2013

No início de Maio do ano corrente, numa conversa informal sobre a situação dos bancários reformados, em que participava um elemento da Comissão de Reformados do STEC , um da UBR e outros dois bancários na situação de reforma, foi visto com grande preocupação a forma como os reformados e pensionistas deste país estão a ser tratados e em particular os reformados bancários, independentemente do sistema que lhes paga a reforma ou a pensão.

De forma a poder evidenciar toda a indignação por todos estes ataques levados a cabo por um governo, cujas medidas de classe estão bem evidentes, resolveu-se avançar para alguns contactos, no sentido de constituir uma comissão promotora de uma concentração, para que os bancários reformados (aqueles eventualmente contactáveis) se pudessem juntar na baixa do Porto, e aí, dar largas a todo o descontentamento e mostrar a verdadeira revolta de um sector que não pára de ser atacado por tudo o que é poder.

Depois de alguns contactos, constituiu-se a referida Comissão, cuja composição foi a seguinte: Fernando Barbosa, José Teixeira Grosso e Pereira de Sousa-Comissão de Reformados do STEC, Delicado e Francisco-UBR (União dos Bancários Reformados), Gaspar Martins-BES e Maria da Glória (Lola) - BPI e o colega Costa Neves - sócio do STEC.

Com duas reuniões realizadas nas instalações do STEC, onde se delineou tudo o que se iria fazer, incluindo o local de concentração (junto ao Banco de Portugal na Praça da Liberdade), não porque fosse o BP o culpado do que está a acontecer aos bancários reformados, mas sim, pela visibilidade que o local encerra e pela simbologia que esta Instituição tem junto dos bancos e dos bancários. Nestas, também se decidiu, que esta concentração tivesse dois panos de presença, com as palavras de ordem correspondente à situação que todos enfrentam. Resolveu-se também elaborar comunicados, convocatórias, moção, intervenções escritas, estas a serem feitas e lidas por elementos da Comissão de Reformados do STEC e UBR. Discutiu-se a importância de ir para o terreno e a forma de chegar com a mensagem a uma boa parte deste sector.

O trabalho do STEC e da UBR, foi determinante para participação na iniciativa, já que pelos correios (CTT) foram enviadas as convocatórias e comunicados a um universo significativo de reformados residentes na área do Porto e zonas limítrofes. Também foi discutida, a apresentação de uma MOÇÃO, para depois de lida, discutida e aprovada no local, pudesse ser enviada aos diversos órgãos do poder.
 

Em análise a esta iniciativa, concluíram todos, que foram uma boa jornada de luta e mesmo havendo a noção de que a esmagadora maioria dos bancários reformados, não foram contactados, por não haver forma de o fazer, pelo menos em tão pouco tempo.

Estiveram no local, cerca de 120 bancários reformados e que só da CGD (sócios de STEC e outros não) 34 e mais 4 trabalhadores do activo, mais concretamente o elemento do Secretariado e os três membros da Direcção do Porto.

Foi uma iniciativa participada e muito animada, com muitas bandeiras do STEC, já que eram as únicas, uma vez que a UBR, não dispõe deste tipo de material.

Quanto à cobertura pelos órgãos de comunicação, só lá esteve o PORTO CANAL, apesar de ter sido feito o convite a outros órgãos, mas que este, efectuou uma boa cobertura, com várias entrevista e que fizeram passar tudo isto em todos seus programas informativos neste dia.

A MOÇÂO foi enviada para todos os Grupos Parlamentares, Presidente da República, Primeiro Ministro, Procurador Geral da República.

Este é um pequeno resumo da jornada de luta dos Bancários Reformados da zona do Porto.
A Comissão de Reformados do STEC.
 

TopoIr para lista

protesto-reformados-bancarios_porto-30-maio.jpg