Domingo, 07 de Junho de 2020

CONTACTOS

STEC
NOTÍCIAS DE IMPRENSA
COVID-19 NO MERCADO DE TRABALHO: HÁ EMPREGOS A SURGIR
2020-04-16
DINHEIRO VIVO
Dinheiro Vivo
16.04.2020 / 19:59
 

Há menos pessoas a procurar emprego, mas há novas funções (e contratações) a surgir no mercado.

A Jooble, mecanismo internacional de busca de emprego, partilha as suas ideias sobre o impacto da pandemia no emprego em março de 2020.

Empresas americanas já anunciaram mais de 1000 cortes de empregos (Forbes). As previsões mundiais parecem muito mais graves com a recente avaliação feita pela Organização Internacional do Trabalho e prevendo que “a pandemia do poderá aumentar o desemprego global em quase 25 milhões”.

No entanto, até agora parece que as previsões dos media sobre o aumento do desemprego se expandem mais rapidamente do que os funcionários estão realmente a perder o emprego. Ao mesmo tempo, inegavelmente, o que vimos no mês passado foi a perda de interesse na procura de emprego, comprovada pela queda de mais de 50% no mercado de trabalho nas últimas 3 semanas.
 
04_16_dinheirovivo_1
Existe uma codependência direta entre a decisão governamental de bloqueio total de duas ou três semanas e a diminuição do número de candidatos a emprego ao longo do tempo em todos os países atingidos pela pandemia.

04_16_dinheirovivo_2

Enquanto isso, embora o número de empregos ativos (ou seja, aqueles abertos num determinado dia do calendário) não permaneça o mesmo na maioria dos países europeus e nos EUA, ele diminui mais gradualmente do que o próprio número de procuras de emprego.

04_16_dinheirovivo_3

Assim, apesar de apenas nos EUA o número de pessoas que reivindicam benefícios de desemprego ter atingido mais de 3 milhões na semana passada (fonte: Reuters), a questão principal parece ser que as pessoas pararam de procurar oportunidades de emprego mais rápido do que os empregadores estão a cortar postos de trabalho.

Com uma tendência semelhante, a quarentena ainda não afetou significativamente a discriminação das categorias de emprego do ponto de vista dos empregadores, com a maior quantidade de vagas a serem oferecidas nos campos de gestão de projetos, engenharia de software, desenvolvimento de negócios e contabilidade no mercado de trabalho do Reino Unido e Canadá. Apesar das previsões de que o setor de serviços seria o primeiro a ser atingido pelas consequências da disseminação da Covid-19, até agora trabalhos como representante de vendas e suporte, especialista em mecânica, motorista, operário de armazém e trabalhador administrativo em Itália, Espanha, Alemanha e Rússia ainda continuam a ser muito procurados.

Embora os empregadores tomem medidas graduais em direção a novas condições da força de trabalho, os candidatos ajustaram-se mais rapidamente nas últimas duas semanas. Por exemplo, quando o governo francês chamou as pessoas que perderam o emprego para se juntarem ao setor agrícola e ajudar os agricultores, os pedidos de pesquisa mais frequentes no fr.jooble na última quinzena foram “colheita sazonal” e “agricultura sazonal”, com 54 723 do total de solicitações.

Os alemães também estão a direcionar-se para a agricultura. Se as três principais solicitações de pesquisa anteriormente eram chamadas de minijobs e empregos para fins de semana, nos últimos 14 dias houve mais de 29 280 buscas por trabalhos agrícolas e de colheita, tornando-os nos mais procurados.

As medidas de quarentena também influenciam a maneira como os utilizadores estão a procurar empregos especificamente. Assim, as buscas por “limpeza” em Espanha passaram para “limpeza de hospitais”, a de “babás” em Itália foi substituída por trabalhos de entrega e o “motorista de entrega de farmácia”, que contava 7,6 mil buscas no Reino Unido no dia 24 de fevereiro, a 8 de março atingiu mais de 30 mil e desde dia 16 é o segundo emprego mais procurado nesse mercado.

Uma das mudanças mais importantes na situação atual foi o anúncio da Amazon de que contratara 100 mil novos funcionários. Assim, no Reino Unido, o número de procuras de emprego na Amazon aumentou quase três vezes (11 746 contra 4440) e 5,5 vezes nos EUA.

04_16_dinheirovivo_4

A última tendência de emprego, que continuaremos a ver por algum tempo, são os empregos online. Além do ensino online, aulas particulares e freelancers, agora as pessoas estão a procurar ativamente uma maneira de ajustar suas habilidades ao novo padrão de trabalho e, nos EUA, pedidos como “estilista de moda online” ou “personal trainer online” estão a tornar-se mais frequentes. Ainda assim, a maior parte do público procura oportunidades literalmente de qualquer “trabalho online em casa”, para encontrar meios de ter mais rendimento.

04_16_dinheirovivo_5

Com os exemplos mencionados acima, a situação no mercado de trabalho parece menos complicada do que tem sido descrito.

A tarefa importante por enquanto é, em vez de forçar as previsões de aumento do desemprego, mostrar as oportunidades que ainda existem ou que surgirão assim que encontrarmos uma maneira de viver em condições de bloqueio.
 

Artigo elaborado pelos especialistas do site de busca de empregos Jooble


TopoIr para lista

04_16_dinheirovivo