Quarta-Feira, 21 de Novembro de 2018

CONTACTOS

STEC
NOTÍCIAS DE IMPRENSA
KRUGMAN VÊ O FIM DO EURO EM ALGUNS MESES SE A ALEMANHA MANTIVER A ESTRATÉGIA
2012-05-14
PÚBLICO

14.05.2012 - 10:29

Por Paulo Miguel Madeira

 

O economista norte-americano Paul Krugman considera “muito possível” que a Grécia saia do euro no próximo mês e vê o fim da moeda única dentro de meses, a menos que a Alemanha mude de atitude.


Numa entrada do seu blogue no New York Times intitulada "Eurodämmerung" (o crepúsculo do euro), traça em quatro pontos – dois deles com alternativas em aberto – o modo como lhe parece que o euro poderá acabar.
 

Primeiro, uma saída da Grécia, “muito possivelmente no próximo mês”. Entretanto, haverá “enormes levantamentos” dos bancos espanhóis e italianos, com os “depositantes a tentar mudar o seu dinheiro para a Alemanha”.
 

Para Krugman, um economista de centro-esquerda (o seu blogue chama-se “The Conscience of a Liberal”) que recebeu o Nobel da Economia e é muito conhecido na Europa, é também possível que sejam instituídos “controlos ‘de facto’, com os bancos proibidos de transferirem depósitos para fora do país e limites aos levantamentos em dinheiro”.
 

“Em alternativa, ou talvez em conjunto”, o BCE teria de fornecer grandes montantes de crédito, para impedir os bancos de colapsar.
 

Neste cenário, “a Alemanha pode fazer uma escolha”, que seria aceitar enormes transferências indirectas de crédito público para Itália e Espanha, acompanhada de uma “drástica” revisão de estratégia.
 

Krugman lembra que para dar alguma esperança a Espanha são necessárias garantias sobre a sua dívida (para os custos de endividamento se manterem suportáveis) e uma inflação mais elevada na zona euro, para tornar possível um ajustamento relativo dos preços.
 

A alternativa é o “fim do euro”, dentro de meses, e não de anos. É assim que lhe “parece que o jogo pode acabar”.

TopoIr para lista

krugman.jpg

(Foto: Miguel Manso)