stec_logo
Sexta-feira, 21 de Janeiro, 2022

NOtÍCIAS DE IMPRENSA

Leão recebe dividendo extra de 300 milhões da CGD ainda este mês
ECO SAPO
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

Flávio Nunes
29 Novembro 2021

 

 

A CGD vai entregar ao Estado, ainda este mês, um dividendo extraordinário de 300 milhões de euros, elevando a 383,6 milhões a totalidade dos dividendos pagos aos cofres do país.

 

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) vai mesmo entregar ao Estado, ainda este mês, um dividendo extraordinário de 300 milhões de euros ainda este mês. A decisão foi tomada pelo próprio Estado, o que eleva para 383,6 milhões o montante total entregue pelo banco público aos cofres do país em 2021.

 

Este rendimento acionista representa uma almofada financeira para o Ministério das Finanças, tutelado por João Leão. Isto numa altura em que o país, sem Orçamento do Estado aprovado para 2022, passará a ser governado em duodécimos.

 

Numa nota enviada à CMVM, a CGD dá conta do “fundamento” para a distribuição deste dividendo extraordinário. Desde logo, é apontado o facto de, em julho de 2021, ter sido levantada a recomendação do Banco Central Europeu (BCE) de limitação dos rendimentos acionistas, por causa do impacto da pandemia.

 

A CGD recorda também que, na assembleia geral de 2021, tinha sido aprovada a distribuição de “dividendos limitados” de 83,6 milhões de euros, “remetendo para avaliação posterior a possibilidade de serem retomados em face da evolução da posição do BCE”. Por fim, o documento faz referência “à normalização da atividade económica e dos mercados financeiros” e a deliberação, em outubro, “favorável a esta distribuição de dividendos”.

 

No início do mês, quando foi tornada pública a intenção de distribuir mais 300 milhões em dividendos, o CEO da CGD, Paulo Macedo, explicou: “São parte dos dividendos que não foi possível pagar relativos aos lucros de 2020 e 2019.”

 

Paulo Macedo disse ainda que a meta do banco é devolver até 2023 cerca de 2.000 milhões de euros do total que foi investido na recapitalização do banco em 2017. Esta devolução não passará só pelos rendimentos acionistas. Está também prevista a recompra de títulos de dívida no valor que 1.000 milhões.

 

Em 2020, a CGD registou lucros de 420 milhões de euros. Os resultados dos primeiros nove meses deste ano ultrapassam já os ganhos do ano passado, tendo a CGD registado lucros de 429 milhões de euros até setembro passado.

 

(Notícia atualizada pela última vez às 18h38)